25/12/2008

ASSOMADA E ASSOMADOURO (Sítios)

Assomadouro - Lombo da Rocha - Prazeres
(Foto do autor)


ASSOMADA e ASSOMADOURO - Segundo o Dicionário de Língua Portuguesa, 6.ª Edição, da Porto Editora, assomar é «subir ao cume, aparecer em lugar alto» e assomada é o «acto ou efeito de assomar, aparição, cumeada, altura, auge». Assomadouro ou Assomadoiro significa o «lugar próprio para assomar, assomada».
Segundo o opúsculo do Padre Fernando Augusto da Silva, “Vocabulário Madeirense”, editado em 1950, pela Junta Geral do Funchal, entende-se por assomada como a «parte mais elevada duma estrada ou caminho de grande declive».
Assomar, é aparecer, descortinar ou avistar. E, assomadouro é, o lugar donde se descortina largas vistas sobre um amplo horizonte. Assomadouro, genericamente poderá ser sinónimo miradouro. Na Madeira, o termo (ou verbo) assomar, praticamente desapareceu do vocabulário do dia a dia dos madeirenses, mas, perpetuou-se na toponímia. Assomada e Assomadouro (substantivos), apelidaram lugares e sítios do espaço geográfico madeirense.
Estes topónimos, são usados igualmente nos arquipélagos dos Açores e de Cabo Verde e em Portugal Continental. Assomada, nos Açores e Cabo Verde. Assomadouro em Poiares, Freixo Espada à Cinta, Bragança.


Assomadouro
(Visto da Fajã da Ovelha - Foto do autor)



Assomadouro



Fajã da Ovelha
(Vista do Assomadouro - Foto do autor)


«Sítio da freguesia dos Prazeres, onde se descortina uma bela paisagem da costa marítima, que se alarga desde o Jardim do Mar até á freguesia da Fajã da Ovelha», descreve o Padre Fernando Augusto da Silva no seu Dicionário Corográfico do Arquipélago da Madeira, editado em 1934. O Assomadouro, localiza-se no Lombo da Rocha, na freguesia dos Prazeres, concelho da Calheta.


Jardim do Mar
(Visto do Assomadouro - Foto do autor)


Elucida o Elucidário Madeirense, do mesmo autor supracitado, «é a freguesia dos Prazeres uma das menos conhecidas desta ilha, mas é indubitavelmente uma das mais pitorescas. O Padre Fernando Augusto de Pontes refere-se a esta paroquia nos seguintes têrmos: ‘Ao longe a ondulação das montanhas estampa-se no azul do céo e os carreiros tortuosos dos trilhos e veredas cortam as eminencias em direcções diferentes. Ao perto, a vegetação é tapete que se desdobra por tôda a parte. As estradas são alinhadas de buxo e louros, e o ar bastante puro. Não é para calar a beleza arrebatadora que se goza do viso duma montanha á beira do mar - o Assomadouro. Lá em baixo, fica á esquerda uma povoação cujas habitações se ocultam quasi sob a vegetação que as abafa: é o Jardim do Mar. Á direita há outra freguesia - é o Paul do Mar. E que belo que é o casario em pinha á beira das aguas, no Paul’.»


Paul do Mar
(Visto do Assomadouro - Foto do autor)


Actualmente, para chegar aos Prazeres é simples, mas para encontrar o Assomadouro é um pouco mais complicado! Este localiza-se no Hotel Jardim do Atlântico, no Lombo da Rocha! E para o encontrar é necessário entrar no recinto do Hotel e percorrer os acessos do mesmo. Após descer por uma escadaria, na direcção sul (para o mar), depararmo-nos com miradouro do Assomadouro. Aqui, reconhecemos de imediato a antiga vereda (ou caminho real), que desce para o Paul do Mar. Chama-se "Caminho do (de) Concelho" e no passado era um dos poucos acessos ao litoral que as gentes da freguesia dos Prazeres disponham. Igualmente deste local, inicia-se um dos mais aliciantes e pitorescos percursos da zona oeste da Madeira.


"Caminho do (de) Concelho"
(Vereda ou caminho real dos Prazeres - Paul do Mar - Foto do autor))


Por entre socalcos ou poios, o visitante ou o residente poderá desfrutar da paisagem envolvente, natural e humanizada, e ao mesmo tempo, sentir quanto no passado o suor dos habitantes locais regava a calçada de basalto da vereda. Ao palmilhar a mesma, podem ser apreciadas formações geológicas atraentes, desde basaltos acinzentados, escórias de tons ocres, bombas vulcânicas, filões, diques e quedas de água, na companhia de, figueiras do inferno, massarocos, seixeiros, murtas, farrrobos, funcho, malfuradas, sumagres, saxífragas e goivos da rocha. O Assomadouro, no Lombo da Rocha na freguesia dos Prazeres, encontra-se a cerca de 500 metros de altitude.



Vegetação xerófila do litoral ou Zambujal
(Visto do Assomadouro - Foto do autor)




Assomada


Assomada - Caniço
(Foto do autor)

Vários lugares e sítios da Madeira são conhecidos por este topónimo. O mais conhecido, é o sítio da Assomada (na carta militar - Assumada - equívoco) da freguesia do Caniço, localizada a cerca de 230 metros de altitude (Igreja), que também é paróquia. Esta, desintegrada da Paróquia do Caniço, foi criada em 24 de Novembro de 1960, por Decreto de D. David de Sousa, Bispo do Funchal, «entrando em vigor em 1 de Janeiro de 1961, tendo sido desmembrada da Paróquia do Caniço» (Diocese do Funchal). Nossa Senhora das Dores é a sua Padroeira.


Litoral norte da Madeira
(Arco de São Jorge - Foto do autor)


No Arco de São Jorge, o lugar ou sítio da Assomada, donde se descortina largas vistas sobre o litoral norte da Madeira. Nas serras da freguesia de São Jorge, quem percorre a vereda do Pico Ruivo, Pico do Canário, Pico Redondo e Voltas, a caminho da Ribeira Funda, a cerca de 1180 metros de altitude, passa pelo Pico dos Assomadouros ou Assomadouros (Carta Militar - Assumadouros - equívoco), que faz jus ao seu topónimo.


Vale da Boaventura
(Foto do autor)


Daqui, observa-se grande parte do vale da pitoresca freguesia da Boaventura e também parte da vertente norte madeirense, até a freguesia do Porto do Moniz. Também nesta freguesia existe um sítio ou lugar da Assomada (Dicionário Corográfico do Arquipélago da Madeira).


Vertente norte da Madeira
(Visto da Ribeira da Janela - Porto do Moniz - Foto do autor)



Bibliografia:

COSTA, J. Almeida e MELO, A. Sampaio (1990). Dicionário da Língua Portuguesa. Dicionários “Editora”. 6.ª Edição. Porto Editora Lda. Porto.
PIO, Manuel Ferreira (1974). O Concelho de Santana: Esboço Histórico. Editorial Eco do Funchal. Funchal.
SERVIÇO Cartográfico do Exército (1974). Carta Militar. Serie P 821. Edição 1 - S. C. E. P. (Trabalhos de Campo de 1965). Lisboa.
SILVA, Padre Fernando Augusto da e MENESES, Carlos Azevedo de, (1984). Elucidário Madeirense. Fac-símile da edição de 1946. Secretaria Regional de Turismo e Cultura - Direcção Regional dos Assuntos Culturais. Funchal.
SILVA, Padre Fernando Augusto da (1934). Dicionário Corográfico do Arquipélago da Madeira. Edição do Autor. Funchal.
SILVA, Padre Fernando Augusto da (1950). Vocabulário Madeirense. Edição da Junta Geral do Funchal. Funchal.
QUINTAL, Raimundo (2003). Madeira, a Descoberta da Ilha de Carro e a Pé. 1.ª Edição. Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal. Funchal.
QUINTAL, Raimundo (2004). Levadas e Veredas da Madeira. 4.ª Edição. Francisco Ribeiro e Filhos Lda. Funchal.
ROQUETE, J.-I. e FONSECA, José da (1873). Diccionario dos Synonymos, Poético e de Epithetos da Lingua Portugueza. Em Casa de Va. J.-P. Aillaud, Guillard e Ca, Livreiros de Suas Magestades o Imperador do Brasil e El-Rei de Portugal. 47, Rua Saint-André des Arts, Pariz.

Visualizações de páginas

Visitantes em online

Modified by Blogger Tutorial

Madeira Gentes e Lugares ©Template Nice Blue. Modified by Indian Monsters. Original created by http://ourblogtemplates.com

TOP